quinta-feira, 8 de outubro de 2009

Paraíso





Fecho os olhos e me deixo levar pelo momento, a brisa leve vem de encontro ao meu rosto, bagunça meus cabelos. Ao meu redor, as arvores de folhas num tom verde amerelado, se movem em perfeita sintonia; Daqui, consigo apenas ouvir o barulho do vento e dor mar azul batendo nas pedras, logo abaixo de mim; e logo acima temo céu, tão limpo e lindo como nunca havia reparado antes, as nuvens branquinhas me trazem a lembranças da minha infância, abro os olhos, mas agora, onde antes se conseguia enxergar corações, cachorros e coisas boas...Hoje nada mais vejo do que simples nuvens, perfeitas, mas apenas nuvens, talvez o tempo tenha passado, talvez eu tenha crescido, talvez eu não seja mais a mesma, ou apenas não veja mais as coisas do mesmo modo, mesmo assim, me traz sensações boas admirá-las, é como se eu estivesse no paraíso, e talvez até esteja, não sei, não sei se mereço tal coisa. O que sei é que aqui, só, no meu mundo, posso fazer qualquer coisa, sem ninguém para me julgar, sem me preocupar se estou certa ou não, sem ter que me esconder de algo, ou até mesmo alguém; é, talvez, eu esteja mesmo no paraíso.

2 comentários:

Élica disse...

Lindo,lindo...você realmente é demais, e que eu também possa fazer parte do seu mundo...., pois ele é colorido e belo!

Ale Martins disse...

Beatriz,
Você escreveu um texto cheio de poesia e significados.
Seu texto permite que o leitor sinta-se presente ouvindo o mar e olhando o céu, até o momento quando você o acorda para a realidade.
Parabéns, curti muito.